Tendências para as redes sociais em 2024

Com o término de 2023, está na altura de planear 2024 e refletir sobre aquilo que o futuro nos trará.

Assim sendo, neste artigo, apresentamos-te as principais tendências para as redes sociais em 2024, bem como algumas recomendações que acreditamos que deves considerar na tua estratégia digital.

  1. O Tiktok e o LinkedIn ocupam o trono em 2024

A previsão é que estas duas redes sociais continuem a crescer e, dessa forma, ocupem o trono como as duas maiores redes sociais da atualidade. No entanto, o surgimento do Threads pode afetar esta previsão, por isso, teremos de esperar para ver o resultado final. Já o Youtube continuará a adaptar-se a novos formatos e trará novas integrações com Inteligência Artificial e o X (antigo Twitter) promete novas funcionalidades.

Mas vamos por partes:

  • TikTok

A plataforma que explodiu durante a pandemia e se apresentou como uma rede social de entretenimento continua a crescer, com novas funcionalidades e ferramentas. Atualmente é a rede social com maior interação no que concerne a vídeos curtos.

A previsão é que esta plataforma continue a crescer e ocupe o primeiro lugar, maioritariamente através de conteúdo em vídeo autêntico.

  • LinkedIn

Esta plataforma tem vindo a crescer e isso é notável. Atualmente, já nos permite fazer anúncios, agendar conteúdo, entre outros, e prevê-se que esse crescimento não pare em 2024. Adicionalmente, os utilizadores da plataforma, também aumentaram nos últimos tempos.

O LinkedIn será essencial para ti, caso o teu objetivo seja criar relações B2B (bussiness-to-bussiness).

Estima-se que, em 2024, o LinkedIn solidifique a sua posição como a plataforma de networking profissional mais forte do mercado.

  • Autenticidade é a chave para o sucesso

Em 2024, a autenticidade será a chave para o sucesso no digital. Partilhar histórias reais, promover conversas com a audiência e mostrar o lado humano da tua marca, são pontos que deves adotar na tua estratégia, para que consigas criar relações sólidas e de confiança com quem te acompanha.

Cada vez mais, as pessoas estão cansadas do “perfeito”. Agora, as pessoas procuram a realidade, procuram algo com que se identifiquem e não é no conteúdo “perfeito” que elas encontram a identificação. Por isso, está tudo bem se os teus vídeos forem gravados com o telemóvel, dentro do carro, ou se o teu local de trabalho não for perfeito: a perfeição não conecta, a autenticidade sim.

  • Autenticidade através de User Generated Content (UGC)

Se ainda não ouviste falar neste termo, UGC é conteúdo criado pelo consumidor sobre as marcas que gostam, é conteúdo desenvolvido de forma autêntica e geralmente mais genuína, tal como os utilizadores das redes sociais querem ver.

Trazemos-te este termo porque estes tipos de conteúdos vão imperar em 2024 e poderão ser uma boa aposta para a tua marca. Além disso, trabalhar com UGC pode simbolizar um investimento reduzido, ajudar a tua marca a criar autoridade, aumentar o teu alcance orgânico, etc.

O UGC pode surgir de três formas: através de conteúdo criado por pessoas que gostam de determinada marca e têm gosto em partilhar, através de dinamizações da própria marca, ou parcerias com influencers, tema que nos leva ao próximo tópico:

  • Crescimento do marketing de influência e aposta em influencers com alto envolvimento

Não é só a aposta em influencers no geral que vai aumentar, mas sim a aposta em influencers aparentemente mais “pequenos” e que trabalhem nichos específicos, com alto envolvimento com os seguidores.

Enquanto que, no passado, o número de seguidores era visto como um sinónimo do sucesso, cada vez mais assistimos, e bem, a uma mudança de pensamento. Na prática, mais importante que os seguidores, é o envolvimento e a interação dos seguidores com a marca ou influencer em questão.

Assim, prevê-se que as marcas procurem influencers com menos seguidores, mas com altas taxas de interação e envolvimento, para construir parcerias genuínas e de longa duração, ajudando as marcas a criar, com a sua audiência, uma relação de confiança e gerar sentimentos como identificação. Todos estes pontos ajudarão a chegar a um objetivo: a criação de uma comunidade, se assim o pretenderes.

Se em 2024 a tua marca vai trabalhar com influencers não te esqueças de procurar alguém alinhado com os valores da tua marca, capaz de gerar identificação com o teu público-alvo e que seja autêntico no conteúdo que cria para as redes sociais.

A mudança de mindsetrelativamente ao número de seguidores leva-nos exatamente ao tópico seguinte:

  • Mudanças na forma como o sucesso é medido

Como já referimos, prevê-se que em 2024 o sucesso nas redes sociais seja medido através de métricas como a interação e o envolvimento, contrariamente ao passado em que muitos seguidores equivaliam a sucesso.

Como gestores de redes sociais de várias marcas podemos afirmar que, de facto, o número de seguidores não é tão relevante assim. Seguidores não significam vendas, então, uma marca com menos seguidores pode sim vender mais que uma marca com muitos seguidores.

Assim, há alguns tópicos que deves considerar:

  • Importância do conteúdo partilhado, alcance e impressões

Cada vez mais os algoritmos vão valorizar conteúdo que gere interação, que leve o utilizador a comentar e a partilhar, por exemplo. Conteúdo que, no fundo, gere reações no usuário. A tua aposta deve ser em criar conteúdo que se foque nisso mesmo e que, por exemplo, leve a uma conversa entre a tua marca e quem te acompanha.

Ao mesmo tempo, será essencial ter atenção ao alcance e às impressões, dois indicadores que, em 2024, continuarão a ser bastante relevantes.

É preciso ainda reconhecer que o teu conteúdo, quando partilhado, terá mais alcance e, consequentemente, mais impressões, ou seja, as três métricas estão interligadas. Uma das maiores recomendações que te podemos dar para aumentar os resultados destas métricas é apostar em marketing de influência e UGC, pontos que, como já sabes, serão muito relevantes em 2024.

Em suma: para analisar o teu sucesso nas redes sociais, é importante te focares mais em métricas como a interação, partilhas e alcance e menos nos seguidores, por exemplo.

  • Testes A/B

Testes A/B são testes que comparam duas variáveis (A e B), de modo a definir qual delas será a melhor, tendo em conta os objetivos da marca.

Estes testes já são bastante usados no digital, por exemplo em campanhas de tráfego, websites e landing pages, no entanto, a previsão é que se comecem a utilizar testes deste género nas redes sociais, de modo a testar conteúdos e estratégias novas. Estes testes permitirão às marcas definir aquilo que funciona para a sua audiência e, assim, delinear novas estratégias que lhes permitirão alcançar os seus objetivos.

A recomendação é que continues a apostar em conteúdos e estratégias que sabes que funcionam, mas também dediques algum tempo a criar e a testar coisas novas e diferentes do habitual.

  • Inteligência Artificial

A IA está cada vez mais presente na nossa vida e estima-se que isso não vá mudar. No entanto, ela não chegou para te substituir ou para fazer todo o teu trabalho por ti, mas sim para te ajudar, tornando-te mais produtivo e libertando-te tempo para dedicares a pontos em que ela não te pode ajudar.

Atualmente, a Inteligência Artificial pode ajudar-te na automatização de vários processos e em tópicos como análise de dados, criação de ideias de conteúdos, brainstorming, copywriting entre muitos outros. A previsão é que a IA se torne uma ferramenta auxiliar para marketeers, uma vez que a sua ajuda pode ser realmente incrível.

Mas lembra-te: ela nunca te vai substituir e utilizá-la em excesso e com falta de pensamento crítico pode comprometer, por exemplo, a tua autenticidade. Utiliza-a com moderação: tudo aquilo que ela criar deve ser revisto e alterado por ti. O segredo será combinar a IA com os teus conhecimentos e, assim, criar algo revolucionário.

Todas estas informações são uma conjugação da experiência da The Maker na gestão de redes sociais e do relatório desenvolvido pela plataforma SemRush que podes consultar aqui. – inserir este link na palavra aqui https://go.semrush.com/social-media-trends_en.html

Nota importante:

Nenhuma destas tendências é regra e é importante compreender isso.

Estas tendências são previsões daquilo que poderá acontecer, o que não significa que vai acontecer. É impossível dizer com 100% de certeza que de facto o futuro das redes sociais será isto ou aquilo.

Um exemplo que certamente vais reconhecer: no final de 2022, uma das tendências para 2023 foi o Metaverso, algo que causou um enorme furor e foi falado por imensa gente, no entanto, atualmente, não se ouve sequer falar no Metaverso.

Reflete e considera estas tendências, no entanto, não as vejas como uma imposição ou como regras para aquilo que serão as redes sociais.

Concluindo, os pontos que deves reter deste artigo são:

  • O Tiktok e o LinkedIn serão as maiores redes sociais em 2024;
  • A autenticidade vai ser essencial para o teu sucesso no digital;
  • O marketing de influência vai continuar a crescer, portanto, deves ponderar apostar nele;
  • Os seguidores deixarão de ser um indicador de sucesso e deves focar-te em métricas como partilhas, alcance e impressões;
  • A Inteligência Artificial deve ser tua aliada na automatização de processos, ajudando-te a ser mais produtivo;
  • Estas tendências não são regra, então podem não se concretizar.

Caso tenhas alguma dúvida sobre este artigo, ou queiras partilhar connosco a tua opinião sobre o mesmo, envia-nos uma mensagem para falarmos!

Picture of Rodrigo Mota

Rodrigo Mota

Gestor Júnior de Projetos Digitais da The Maker. É um dos nossos especialistas em Marketing Digital e conta com 1 ano de experiência.

Artigos similares:

Utilizamos cookies e outras tecnologias de medição para melhorar a sua experiência de navegação no nosso site, de forma a mostrar conteúdo personalizado, anúncios direcionados, analisar o tráfego do site e entender de onde vêm os visitantes. Para saber mais informações conheça a nossa politica de privacidade